o riachense

Quarta,
01 de Fevereiro de 2023
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Justiça ao cair do pano

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Foi perante uma boa moldura humana, que Atlético e U. Tomar se defrontaram em Riachos, num jogo sempre aguardado. Ainda desfalcado de quatro jogadores importantes, todos por lesão, o técnico Frederico Rasteiro repetiu o onze da semana transacta.

 

Na primeira parte assistiu-se a um bom jogo, com situações de perigo junto das duas balizas, contudo nenhuma equipa se superiorizou, não se estranhando por isso o nulo ao intervalo.

No reinício, o técnico alvi-negro, lendo bem o jogo, fez duas alterações que mexeram, e de que maneira, com a equipa. Tal como na jornada anterior, entraram Miguel Luz e Nuno Paulo para os lugares dos apagados Paulito e Marco Gomes. O Atlético começou então a demonstrar outra atitude e assumiu o controlo da partida. Só que aos 52', na única vez que a equipa nabantina chegou à área adversária, Pedro Galrinho cometeu uma infantilidade ao fazer falta sobre Pinto dentro da grande área. No entanto, Quim desperdiçou o penalti, atirando para fora.

A partir deste lance, o Atlético subiu ainda mais de produção, aparecendo nesta altura o guardião Ricardo que com grandes defesas foi evitando o golo riachense, após remates de Bruno Lemos, Luís Carlos, Leandro e Marco Neves.

Aos 57', Nuno Paulo, atirou de cabeça uma bola com estrondo à barra. Só que no melhor pano cai a nódoa e aos 88', quando já se pensava que o Atlético iria empatar novamente, Marco Neves, na meia esquerda, rematou forte e Ricardo, atrapalhado por um colega, não conseguiu evitar o golo, ficando muito mal na fotografia.

Foi com uma vitória justa, mas "arrancada a ferros" que o Atlético venceu o U. Tomar. Destaca-se a exibição fabulosa de Moita, que tacticamente é o melhor jogador do plantel, contudo nesta partida, mostrou-nos uma outra faceta. Perante as limitações físicas notórias de Bruno Lemos e Carioca ainda fora de forma, Moita 'carregou' com a equipa às costas, jogando e fazendo jogar. Quanto ao trio de arbitragem, tecnicamente esteve impecável, nada a dizer no penálti assinalado contra o Atlético. Contudo, disciplinarmente esteve infeliz, com claro prejuízo para a equipa da casa.

 

Carlos Pereira

Actualizado em ( Quarta, 23 Setembro 2009 15:28 )  
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opinião

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, senão concorro!

 

João Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária