o riachense

Quarta,
08 de Fevereiro de 2023
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Campeonato XTerra: a Golegã foi o centro mundial do triatlo por dois dias

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
O campeão do mundo, Ruben Ruzafa, venceu a prova masculina
 
O centro do mundo do triatlo cross esteve na Golegã nos passados dias 31 de Maio e 1 de Junho. A segunda prova europeia do XTerra, no dia 1, foi a 15.ª de 36 provas de qualificação para a prova mundial final, no Maui em Outubro próximo. Na semana anterior foi a espanhola e a próxima etapa é no Brasil, a 8 de Junho.
 
Foi um fim-de-semana extraordinário, depois de muitos meses de preparação e trabalho, confessou-nos Jaime Rosa, sobre o evento mais importante que o Núcleo Sportinguista da Golegã já organizou. Foram muitos atletas estrangeiros (eram a maior parte dos 120 participantes da prova de adultos) para receber, a maior parte sem falar português, num “esforço para tentar chegar às expectativas do XTerra internacional, que depositou em nós responsabilidade. E era completamente impossível de fazer sem a autarquia”, disse Jaime Rosa, na ressaca do evento.
 
Desportivamente, realça o facto de ter havido alguns vencedores inéditos e de a competição, que tanto em masculinos como em femininos contou com os melhores do mundo, ter sido muito equilibrada. O que, de alguma forma, evidencia a originalidade e a dificuldade dos percursos. As provas começaram com natação na Alverca, depois os atletas foram de bicicleta por estradas rurais, no meio de vinhas e campos de milho, até perto do Tejo e, com a corrida, tudo acabou no centro da vila, onde muita gente esperava para receber os vencedores.
 
Nos homens, a corrida só ficou decidida na parte final da corrida, tendo vencido o actual campeão do mundo, o espanhol Ruben Ruzafa. Em segundo ficou o francês François Carloni (nunca tinha ido ao pódio numa prova do circuito), e em terceiro o belga Yeray Luxem. 
 
Nas senhoras venceu a Coralie Redelsperger (França), também na sua primeira vitória no XTerra, em segundo ficou a austríaca Sandra Koblmueller, e em terceiro, a britânica Jacqui Slack. Nesta prova, a emoção durou até ao fim: entre as duas primeiras classificadas ficou uma diferença de apenas quarenta segundos.
 
Sobre goleganenenses, dois ex-atletas do NSCG, que agora correm por outros clubes, destacaram-se: o Diogo Rosa, ficou 16.º, e Octávio Vicente em 13.º.
 
O jovem, filho de Jaime Rosa, fez o balanço da sua participação no Facebook, confessando que não conseguiu alcançar o resultado pretendido: ser o primeiro ou segundo português em prova. "A natação foi perfeita, a melhor de sempre com um tempo abaixo dos 21 minutos. Na bike muito falhou, pois não me senti no topo da minha forma e passei muito mal naquelas subidas que tantas vezes tinha feito, a somar uma queda numa zona que me sentia confiante, que acabou com as forças que ainda tinha. Confesso também que o meu plano nutricional falhou, o que me fez chegar com poucas energias à corrida e ter algumas cãibras. Ainda assim, consegui correr e não perder muitos lugares. 16º da Geral e 8º nos Pro/Elite, escalão onde fiz a minha estreia", revelou o triatleta que agora corre pelo Sporting e está a fazer a licenciatura em Direito em Lisboa.
 
O saldo para a organização mundial do XTerra é muito positivo, diz Jaime Rosa, que adianta que para o ano quer voltar à Golegã. Os percursos goleganenses foram considerados pelo XTerra como “rápidos mas duros”, com curiosidades e apontamentos técnicos, como um mergulho da ponte militar que foi montada no lago junto ao jardim do Equuspolis e um pequeno troço de rapel.
 
Já na véspera desta prova principal tinham estado 400 atletas com idades entre os 7 e os 15 anos no campeonato nacional jovem. O jardim do Equuspolis ficou repleto de vida nesse dia.
 
Feira do Cavalo, Expoégua e agora, o XTerra. A etapa da Golegã daquela que é a maior competição de triatlo cross é agora o terceiro evento mais importante do ano, pelo menos no que respeita à conjugação de desporto e investimento para a atracção de visitantes. A Câmara investiu 35 mil euros no evento e já reservou lugar no calendário para 2015 e 2016.
 
Depois de seis meses de preparação, Jaime Rosa era um homem feliz na ressaca do XTerra

Actualizado em ( Quinta, 05 Junho 2014 15:29 )  
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opinião

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, senão concorro!

 

João Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária