o riachense

Segunda,
22 de Julho de 2019
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Carlos Tomé deixa vereação de vez

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
Quando iniciou o seu sexto mandato como vereador da Câmara Municipal de Torres Novas, em Outubro de 2013, Pedro Ferreira (PS) era o único político há tanto tempo no activo como Carlos Tomé, com vinte anos de vida autárquica. Mais nenhum político eleito em Torres Novas desempenhou funções durante tanto tempo.
Após a sua reeleição nesse ano pela CDU, Tomé apenas desempenhou funções durante três meses, tendo depois passado o testemunho a Filipa Rodrigues, a número dois da candidatura da CDU. Atingido o limite de duas suspensões temporárias, de seis meses cada, Carlos Tomé veio agora renunciar formalmente ao seu mandato, encerrando esta faceta da sua actividade política.
Para a história ficam muitos episódios de debate com António Rodrigues, mais de confronto político, contestação e denúncia às apostas socialistas do que de cedências e acordos, registando-se também algumas destas situações, principalmente no início, quando Tomé chegou a ter um pelouro na vereação. Passando em revista as últimas décadas, Carlos Tomé foi o principal rosto da oposição e do escrutínio político na autarquia torrejana, contribuindo de forma indelével para a discussão pública de temas tantas vezes sensíveis que atravessaram quatro mandatos de maioria absoluta do PS.
Na reunião de Câmara de 3 de Fevereiro, descentralizada na Brogueira, Pedro Ferreira chamou-lhe o “eterno vereador” e elogiou a sua actuação ao longo de “vinte anos de convivência, em que não fomos coincidentes nas ideias mas fomos sempre coincidentes numa coisa: o objectivo de melhorar o nosso concelho”, disse o presidente da Câmara.
Helena Pinto, vereadora do Bloco de Esquerda, que esteve pouco tempo no executivo com Tomé, sublinhou “o espírito de colaboração e solidariedade” demonstrado por Tomé para consigo, recém-chegada para reforçar a oposição.
“Exerceu o mandato com coerência e dignidade, colocando sempre os interesses do município e das populações em primeiro lugar, sem qualquer benefício pessoal (…) deu o melhor de si na dignificação do poder local democrático”, diz, por sua vez, o agradecimento público emitido pela CDU de Torres Novas, segundo a qual Carlos Tomé continuará na CDU “a contribuir com o seu saber e experiência para que sejam alcançados os valores de Abril, por que tem lutado ao longo dos anos”.

Actualizado em ( Segunda, 23 Fevereiro 2015 18:05 )  
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opinião

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, senão concorro!

 

João Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária