o riachense

Sexta,
27 de Maio de 2016
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Cheias em Constância

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

A chuva dos últimos dias fez subir as cotas das barragens em todo o país e também em Espanha, afastando o horizonte de seca para o próximo Verão. Mas os efeitos imediatos são a possibilidade de cheias na bacia do rio Tejo, situação prestes a acontecer.


Em Constância, o caudal do Tejo, cujas águas já atingem o anfiteatro junto ao Horto-Jardim de Camões, impede a feliz confluência dos dois rios, e toda a área de lazer na foz do Zêzere está submersa.
No local, o chefe da Protecção Civil de Santarém, Joaquim Chambel assegurou que por enquanto não há risco e que as águas não deverão subir mais nas próximas horas.
Também as visitas ao Castelo de Almourol estão interrompidas, devido à corrente e nível das águas. E em Tancos, o jardim e anfiteatro encontram-se igualmente submersos.
Porém, caso a pluviosidade se mantenha, a perspectiva da Protecção Civil irá por água abaixo, já que a barragem de Castelo do Bode tem as comportas abertas e a montante, também as do Tejo estão a descarregar.


Luís Santos

Actualizado em ( Terça, 23 Fevereiro 2010 23:16 )  

Opinião

 

António Mário Lopes dos Santos

A lei que não me protege

 

António Mário Lopes dos Santos

As imagens que nos chegam

 

António Mário Lopes dos Santos

Sem imprensa não há democracia

 

António Mário Lopes dos Santos

Europeus sem Europa