o riachense

TerÁa,
21 de Outubro de 2014
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Cheias em Const√Ęncia

Enviar por E-mail Vers√£o para impress√£o PDF

A chuva dos √ļltimos dias fez subir as cotas das barragens em todo o pa√≠s e tamb√©m em Espanha, afastando o horizonte de seca para o pr√≥ximo Ver√£o. Mas os efeitos imediatos s√£o a possibilidade de cheias na bacia do rio Tejo, situa√ß√£o prestes a acontecer.


Em Const√Ęncia, o caudal do Tejo, cujas √°guas j√° atingem o anfiteatro junto ao Horto-Jardim de Cam√Ķes, impede a feliz conflu√™ncia dos dois rios, e toda a √°rea de lazer na foz do Z√™zere est√° submersa.
No local, o chefe da Protecção Civil de Santarém, Joaquim Chambel assegurou que por enquanto não há risco e que as águas não deverão subir mais nas próximas horas.
Também as visitas ao Castelo de Almourol estão interrompidas, devido à corrente e nível das águas. E em Tancos, o jardim e anfiteatro encontram-se igualmente submersos.
Porém, caso a pluviosidade se mantenha, a perspectiva da Protecção Civil irá por água abaixo, já que a barragem de Castelo do Bode tem as comportas abertas e a montante, também as do Tejo estão a descarregar.


Luís Santos

Actualizado em ( Ter√ßa, 23 Fevereiro 2010 23:16 )  

Opini√£o

 

António Mário Lopes dos Santos

Os sete pecados mortais de h√° vinte anos

 

José Trincão Marques

Desigualdades sociais e desenvolvimento sustent√°vel

 

Ana Paula Lopes

Obsolescência programada

 

Marta Tomé

Sou uma artista. Obrigado por entenderem
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria

On-line

Temos 18 visitantes em linha