o riachense

Quarta,
30 de Novembro de 2022
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

AO CORRER DA PENA

Face ao ambiente conspurcado e nauseabundo em que vivemos, foi louvável a iniciativa de limpar o País. Esperemos que os resultados sejam positivos e que não tenha sido só uma operação de cosmética para fazer esquecer os graves problemas da nossa sociedade. Pena que o Governo não tenha aproveitado para varrer os vencimentos, prémios e indemnizações astronómicas e indecorosas que auferem alguns privilegiados gestores de empresas públicas. Antes se prepara para limpar os bolsos dos contribuintes com o corte de benefícios fiscais e outras medidas gravosas. A cena é sempre a mesma. Os tubarões a encher o bandulho e o mexilhão a levar no toutiço.
Continuam, cada vez mais frequentes, os actos de indisciplina nas Escolas. Com consequências trágicas, por vezes. A onda de assaltos na rua, a casas particulares e a estabelecimentos comerciais não pára de crescer. E cada vez mais violentos. Nos bastidores do futebol, dentro dos estádios e, principalmente, fora deles, a vergonha habitual. Os avisos são mais que muitos. Não podemos dissociar estas situações da falta de coragem política para fornecer aos agentes da autoridade, sejam eles quais forem, o poder e os meios necessários para dissuadir, minimizar e punir exemplarmente as atitudes criminosas. Isto porque, em regra, os prevaricadores têm sido mais protegidos do que os ofendidos. Há que mudar, de uma vez por todas e com firmeza, as regras do jogo. Enquanto é tempo.
Entretanto, continuamos à espera do desfecho judicial dos casos mediáticos do conhecimento público que, durante anos e anos, têm vindo a saltitar alegremente nas teias dos adiamentos, providências cautelares e outras complicadas figuras jurídicas.
O Governo vai congelar os salários da Função Pública até 2013. Ora aqui está uma boa notícia. Assim, já tem dinheiro para a construção de mais duas Auto Estradas de Lisboa ao Porto, outras três pontes para a margem sul, o TGV e um aeroporto internacional em cada Distrito. No mínimo.
Enquanto isso, passo a passo, o Défice vai subindo, ao contrário das previsões dos papagaios do costume. E o Povo, serenamente, espera o milagre da retoma.
Ah, e toca a aprender Inglês Técnico para cantar o hino da Nossa Selecção!

Actualizado em ( Quinta, 27 Janeiro 2011 15:44 )  
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opinião

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, senão concorro!

 

João Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária