o riachense

SŠbado,
30 de Maio de 2020
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Jorge Sim√Ķes Nuno

Enviar por E-mail Vers√£o para impress√£o PDF
Sobreirinho... No outro dia, fui com uns amigos dar um passeio a p√© ao campo, s√≥ n√£o foi tipo √† antiga porque n√£o lev√°mos piquenique, mas como bons portugueses que somos, claro que o passeio acabou com um petiscozito para a malta. Gostei de apanhar o ar do campo e de rever alguns dos lugares por onde dantes a malta passeava. O objectivo deste passeio foi o de ir at√© ao sobreirinho para ver como aquilo estava e, devo confessar, que fiquei muito triste com aquilo com que me deparei. N√£o posso deixar de classificar o actual estado da fonte do sobreirinho como uma aut√™ntica VERGONHA. Quando me lembro de que este local do sobreirinho j√° foi um dos locais de elei√ß√£o de centenas de riachenses (e n√£o s√≥) para os piqueniques de fam√≠lia e amigos, os passeios de fim-de-semana durante o bom tempo e sei l√° que mais, aqueles largos e frescos locais onde se estendiam as mantas para a comesaina e o descanso, onde os mi√ļdos (por vezes junto com alguns gra√ļdos) faziam as suas brincadeiras √† vontade, quer fosse com bolas ou sem elas: n√£o passa hoje de um lugar quase irreconhec√≠vel, com montes de silvas, erva alta, √°rvores tombadas e muitos ramos partidos das que ainda se aguentam em p√©, j√° n√£o sendo poss√≠vel visualizar as condi√ß√Ķes do local que, em tempos idos, tanto prazer e descanso deu √†s popula√ß√Ķes da regi√£o, e ainda n√£o foi assim com certeza h√° tanto tempo que o pessoal deixou de fazer estes passeios/piqueniques, com certeza. Sobre a fonte propriamente dita, onde milhares de pessoas mataram a sede com a sua √°gua cristalina, e que tantas quartas e garraf√Ķes encheram para que em casa continuasse a matar a sede de centenas, √© hoje um triste charco ali no meio das ervas, sem caudal definido n√£o tendo j√° condi√ß√Ķes para matar a sede a ningu√©m. Infelizmente a triste situa√ß√£o n√£o se fica por aqui, pois faz parte da natureza de algumas bestas humanas, o estragar indefinidamente aquilo que devia ser preservado, houve quem ali fosse fazer despejos de lixo, sendo bem vis√≠vel sem a necessidade de procurar com aten√ß√£o, latas, garrafas, pl√°sticos e outras porcarias. Bem como, no caminho √© poss√≠vel encontrar al√©m disto, televis√Ķes, sof√°s, frigor√≠ficos e outras tristes coisas que nos deram o progresso, mas n√£o o civismo nem o respeito. Mas nem tudo √© mau, passei pelo local onde vai ser instalado o parque de merendas Jos√© Leonor e gostei do local, √© simp√°tico e √† beira rio (que at√© ia com √°gua limpa) espero que seja de futuro utilizado apenas por quem o saiba estimar e que venhamos a ter muita raz√£o para l√° ir por v√°rias vezes e n√£o algumas raz√Ķes para passar ao largo de mais uma coisa mal tratada e mal estimada como tantas outras por este Riachos fora. At√© √† pr√≥xima www.sopramosventos.spaces.live.com
Actualizado em ( Domingo, 07 Junho 2009 14:13 )  
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opini√£o

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, sen√£o concorro!

 

Jo√£o Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria