o riachense

Quarta,
08 de Fevereiro de 2023
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Crise directiva no Atlético em vias de ser ultrapassada

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
O problema da sucessão directiva no Atlético Riachense está em vias de ser solucionado num prazo curto. Pelo menos é essa a convicção de José Júlio Ferreira, membro da actual comissão administrativa e um dos elementos que mostraram disponibilidade para continuar em funções de gestão desde que existisse um reforço de pessoas, isto é a entrada de novos membros para os cargos directivos.
Pois bem, as reuniões têm dado alguns resultados e o grupo de pessoas disponíveis tem aumentado, o que permite a José Júlio encarar o futuro próximo com algum optimismo.
Apesar de não estar ainda formalizado o novo elenco directivo, a comissão administrativa actual vai encetar contactos com os jogadores seniores para a formação de um plantel para a próxima temporada, embora ainda não seja assumida a cem por cento a participação no campeonato nacional da 3ª divisão.
Isto porque, entre os novos dirigentes existe um a parte que advoga a desistência da 3ª divisão e a inscrição na divisão Secundária distrital, campeonato que implica custos muito menores. Outros defendem a participação na 3ª divisão mas com um forte aperto no lado dos custos, dispensando os jogadores mais caros e encontrando outros também de qualidade, mas mais jovens e com menores custos.
José Júlio aponta para custos mensais com o plantel não superiores a 1500 euros, dado que a partir daí, os cofres do clube não aguentarão o esforço financeiro e poderá gerar-se a ruptura, coisa que ninguém deseja.
Perante a época finda, fica agora a questão e o desafio: é possível fazer uma participação condigna no campeonato nacional com os custos ainda mais reduzidos?

Jogadores mais caros de saída
O que parece certo é que a equipa do Atlético chegou ao fim de um ciclo e vai sofrer remodelações. Vários dos jogadores que mais contribuíram para o sucesso das últimas três temporadas, e especialmente a que agora acabou, estão de saída para clubes da região, que têm outros recursos financeiros à disposição.
É o caso de Santana, Gonçalo e Emerson, que é já sabido que vão trocar de camisola. Os dois primeiros vão ingressar no Mação. Bruno Lemos, ao fim de muitos anos com a camisola listada, vai com o Monsanto à aventura na 2.ª Divisão Nacional. Pedro Moita e Nuno Paulo são outros dois jogadores influentes que irão mudar de ares, para o Amiense.
Também o jovem Miguel Luz deverá estar de saída, mas porque vai estudar para Coimbra e provavelmente irá representar um clube dessa região.

Miguel Cunha no Monsanto?
A equipa do concelho de Alcanena convidou Miguel Cunha para o cargo de director desportivo na próxima época, em que vai militar na 2.ª divisão Nacional. A carismática figura do futebol riachense anunciou recentemente que iria abandonar o Atlético e fazer um intervalo na carreira de director desportivo, excepto se aparecesse uma proposta muito interessante.
À data do fecho desta edição, Cunha ainda não tinha aceite o convite, afirmando que ainda iria reunir com a direcção presidida por Rui Henriques e estudar as condições propostas pelo clube de Monsanto. A resposta será dada no decorrer desta semana.
 
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opinião

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, senão concorro!

 

João Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária